Repositório Institucional UNIFRAN Dissertações Mestrado em Promoção de Saúde
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.cruzeirodosul.edu.br/handle/123456789/647
Tipo: Dissertação
Título: Toxicidade de Angelica archangelica l. no fígado de rato
Título(s) alternativo(s): Toxicity of Angelica archangelica l. in rat liver
Autor(es): Bosio, Cristiane
Primeiro Orientador: Lopes, Ruberval Armando
metadata.dc.contributor.referee1: Yugoshi, Luciana Ibara
metadata.dc.contributor.referee2: Di Matteo, Miguel Angel Sala
Resumo: Angelica archangelica L. é um fitoterápico facilmente encontrado nas drogarias e no comércio usado pela população do campo e das cidades como antiflatulento, diurético, diaforético, emenagogo, abortificante, etc. O objetivo do presente trabalho foi estudar a hepatoxicidade da planta, administrada em doses excessivas sob as formas de pó, tintura hidroalcoólica e de infusão, já que nas doses adequadas a mesma pe considerada por muitos como não-tóxica e com atividade hepatoprotetora. Para tal foram utilizados ratos Wistar machos pesando 130g em média. Durante 10 dias os ratos receberam via sonda gástrica o pó (10 mg/ml de água) e a tintura (1 ml) de raiz e rizoma de angélica ou no bebedouro sob a forma de infusão (10g/l de água). Após o sacrifício pelo Hypnol a 3%, foram colhidos fragmentos do fígado, os quais foram fixados em formol 10% durante 24 horas. Após desidratação, diafanização e inclusão em parafina, as peças foram seccionads com 6 micrometros de espessura e os cortes corados com hematoxilina e eosina. A estrutura hepática foi analisada ao microscópio de luz e avaliada cariompetrica e estereologicamente. Ao exame histopatológico, o fígado do rato tratado com angélica mostrou áreas de hepatócitos volumosos e claros, provavelmente repletos de glicogênio, vasos dilatados e congestos, espaço-porta desorganizado, fibrosado e com proliferação de ductos biliares, além de focos de inflamação crônica. Cariometricamente foi demonstrado que os núcleos dos hepatócitos eram menores e com forma mais ovalada. Estereologicamente foi evidenciado que os hepatócitos erm mais volumosos e menos numerosos.
Abstract: Angelica archangelica L. is a phytotherapic easily found in drugstores and in the commerce used by the population of the countryside and cities as antiflatulent, diuretic, diaphoretic, emenagogue, abortion, etc. The objective of the present work was to study the hepatoxicity of the plant, administered in excessive doses in the form of powder, hydroalcoholic tincture and infusion, since in the appropriate doses the same pe considered by many as non-toxic and with hepatoprotective activity. For this, male Wistar rats weighing 130g on average were used. For 10 days, the rats received the powder (10 mg / ml of water) and the tincture (1 ml) of angelica root and rhizome via the gastric tube or in the drinking fountain as an infusion (10 g / l of water). After sacrifice by 3% Hypnol, fragments of the liver were collected, which were fixed in 10% formalin for 24 hours. After dehydration, diaphanization and inclusion in paraffin, the pieces were sectioned with 6 micrometers thick and the sections stained with hematoxylin and eosin. The hepatic structure was analyzed under a light microscope and evaluated karyompetrically and stereologically. Upon histopathological examination, the liver of the rat treated with angelica showed areas of large, clear hepatocytes, probably filled with glycogen, dilated and congested vessels, disorganized, fibrous space and with proliferation of bile ducts, as well as foci of chronic inflammation. Cariometrically it was demonstrated that the nuclei of the hepatocytes were smaller and more oval in shape. Stereologically, it was shown that hepatocytes were more voluminous and less numerous.
Palavras-chave: Angelica
Fígado de rato
Histometria
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::FARMACIA::ANALISE TOXICOLOGICA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Universidade de Franca
Sigla da Instituição: UNIFRAN
metadata.dc.publisher.department: Pós-Graduação
metadata.dc.publisher.program: Programa de Mestrado em Promoção de Saúde
Citação: BOSIO, Cristiane. Toxicidade de Angelica archangelica l. no fígado de rato. Franca, 2005. 80 f. Dissertação (Mestrado em Promoção de Saúde) - Universidade de Franca. 2005.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.cruzeirodosul.edu.br/handle/123456789/647
Data do documento: 2005
Aparece nas coleções:Mestrado em Promoção de Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Cristiane Bosio.pdf390.11 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.