Repositório Institucional UNIFRAN Dissertações Mestrado em Promoção de Saúde
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.cruzeirodosul.edu.br/handle/123456789/548
Tipo: Dissertação
Título: Prevalência e fatores de risco da incontinência urinária em mulheres trabalhadoras do hospital referência de Divinópolis-MG
Título(s) alternativo(s): Prevalence and risk factors for urinary incontinence in female workers at the reference hospital in Divinópolis-MG
Autor(es): Lima, Virgínia Vitalina de Araújo e Fernandes
Primeiro Orientador: Zaia, José Eduardo
metadata.dc.contributor.referee1: Robazzi, Maria Lúcia do Carmo Cruz
metadata.dc.contributor.referee2: Mestriner Júnior, Wilson
Resumo: O ambiente hospitalar como qualquer instituição oferece riscos ocupacionais. O objetivo deste estudo foi avaliar a prevalência da incontinência urinária, suas associações com alguns fatores em todas as trabalhadoras do hospital referência da região centro-oeste de Minas Gerais. O estudo foi tipo coorte transversal. A população de estudo foi composta por todas as profissionais que se encontravam em atividade no mês de janeiro de 2005 e que concordaram em participar da pesquisa (445). A prevalência de incontinência urinária de esforço, urgência e mista foi avaliada. As mulheres receberam uma carta/resposta que informou o interesse ou não em participar da pesquisa e então foram entrevistadas pela pesquisadora utilizando um formulário. Para verificar associações, os grupos com e sem IU e os tipos de IU foram comparados utilizando-se o teste do qui-quadrado para independência e homogeneidade. Dentre as 654 cartas distribuídas, 445 (68%) aceitaram em participar da pesquisa. A queixa de IU foi relatada por 97 trabalhadoras (21,7%). Destas, 53 (55%) apresentam sintomas de IU de esforço, 33 (34%) IU de urgência e 11 (11%) IU mista. A prevalência de IU aumentou significativamente com a idade de 41 a 50 anos (35%), com a obesidade, com o alto risco de carregar peso no trabalho (57%), com o maior número de filhos, com o parto vaginal (36&), com a incontinência urinária pós-parto (18%), com a histerectomia (12%) e com a menopausa (20%). O hábito de fumar e o tipo de atividade física praticada não aumentaram significativamente o risco de incontinência urinária. Concluiu-se que houve um aumento do risco para desenvolvimento de incontinência urinária entre as trabalhadoras que possuem atividades ocupacionais que demandam maiores esforços físicos. A incontinência urinária de esforço foi a mais prevalente entre os tipos de IU além de ter sido a de maior ocorrência entre as mulheres que relataram ser alto o riso de carregar peso no trabalho. Dos fatores de risco já estudados e que estão na literatura, as variáveis associadas à IU são: idade, número de filhos, tipos de parto, incontinência urinária pós-parto, histerectomia, menopausa, risco de carregar peso no trabalho, IMC.
Abstract: The hospital environment like any institution offers occupational risks. The aim of this study was to evaluate the prevalence of urinary incontinence, its associations with some factors in all workers at the reference hospital in the central-west region of Minas Gerais. The study was a cross-sectional cohort. The study population was composed of all professionals who were active in January 2005 and who agreed to participate in the research (445). The prevalence of stress, urgency and mixed urinary incontinence was assessed. The women received a letter / response that informed whether or not they were interested in participating in the survey and were then interviewed by the researcher using a form. To verify associations, the groups with and without IU and the types of IU were compared using the chi-square test for independence and homogeneity. Among the 654 letters distributed, 445 (68%) agreed to participate in the research. The complaint of IU was reported by 97 workers (21.7%). Of these, 53 (55%) have symptoms of stress IU, 33 (34%) urge IU and 11 (11%) mixed IU. The prevalence of IU increased significantly with the age of 41 to 50 years (35%), with obesity, with the high risk of carrying weight at work (57%), with the largest number of children, with vaginal delivery (36 & ), postpartum urinary incontinence (18%), hysterectomy (12%) and menopause (20%). Smoking and the type of physical activity practiced did not significantly increase the risk of urinary incontinence. It was concluded that there was an increased risk of developing urinary incontinence among workers who have occupational activities that demand greater physical efforts. Stress urinary incontinence was the most prevalent among the types of IU, in addition to being the most prevalent among women who reported high laughter to carry weight at work. Among the risk factors already studied and that are in the literature, the variables associated with IU are: age, number of children, types of delivery, postpartum urinary incontinence, hysterectomy, menopause, risk of carrying weight at work, IMC.
Palavras-chave: Incontinência urinária
Saúde ocupacional
Riscos ocupacionais
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::SAUDE PUBLICA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Universidade de Franca
Sigla da Instituição: UNIFRAN
metadata.dc.publisher.department: Pós-Graduação
metadata.dc.publisher.program: Programa de Mestrado em Promoção de Saúde
Citação: LIMA, Virgínia Vitalina de Araújo e Fernandes. Prevalência e fatores de risco da incontinência urinária em mulheres trabalhadoras do hospital referência de Divinópolis-MG. Franca, 2005. 94 f. Dissertação (Mestrado em Promoção de Saúde) - Universidade de Franca. 2005.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.cruzeirodosul.edu.br/handle/123456789/548
Data do documento: 2005
Aparece nas coleções:Mestrado em Promoção de Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Virginia Araujo e Fernandes Lima.pdf473.17 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.